“Nunca imaginei que com 96 anos voltaria a enxergar direito”, diz ribeirinho após transplante de córnea em Porto Velho


“Eu nunca imaginei que com 96 anos de idade ainda voltaria a enxergar direito. Para mim, a vida havia acabado. Depois da cirurgia, descobri que agora é que vou começar a viver”. A afirmação foi feita pelo aposentado João Ribeiro da Silva, morador do Baixo Madeira, ao ser informado do sucesso de um transplante de córnea realizado semana passada, no Hospital de Base Ary Pinheiro (HB), em Porto Velho.

Esse tipo de procedimento é realizado desde 2014 no HB. Mais de 140 transplantes  já foram feitos em pacientes vindos de todo o Estado por uma equipe formada por profissionais médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

“Eu sou saudável, moro no Baixo Madeira, como peixe, carne, macaxeira, mas há um ano que eu não conseguia enxergar direito. A tristeza bateu, pois eu era ativo, não gostava de ficar sem fazer nada. Tive que ficar em casa sendo ajudado por outras pessoas. Foi quando procurei um médico, e logo fui operado. Agora sim, voltei a ver tudo direitinho, e mesmo com 96 anos vou recomeçar a viver”, afirmou João Ribeiro.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Luis Eduardo Maiorquim, a maioria dos doadores de córneas é de Rondônia. “Recebemos ofertas da Central Nacional de Transplantes, com córneas vindas de outros estados quando disponível. Ainda existe uma pequena fila para o transplante. Estamos agilizando os procedimentos, pois não é necessário a compatibilidade em relação à córnea ofertada, pois é um tecido vascular e qualquer pessoa pode receber o órgão”, explicou Maiorquim.

João Ribeiro tem 96 anos, mas aparenta bem menos fisicamente. “Não tenho nenhum tipo de doença, como pressão alta, diabetes, isso contribuiu para a cirurgia ser um sucesso, caso fosse um paciente com problemas de saúde, não teria indicação para operar”, disse.

O procedimento durou 1h30. A córnea foi doada por um rapaz de 30 anos. João Ribeiro terá que passar ainda por algumas avaliações médicas, mas a expectativa é que tenha a visão totalmente recuperada, conforme a médica oftalmologista Maria Ivanete.

O paciente foi trazido por uma equipe do Corpo de Bombeiros do Baixo Madeira.

Fonte: Secom – Governo de Rondônia

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação