Site do governo de SP é pego usando PCs dos usuários para minerar criptomoedas


O Pirate Bay causou polêmica há algum tempo quando foi descoberto que o site usava o CoinHive, um sistema que usa o processador dos visitantes para minerar a criptomoeda Monero para o desenvolvedor. Engana-se, porém, que a prática só é vista em sites suspeitos: foi detectado que uma página do governo do Estado de São Paulo também faz uso desse sistema.

A descoberta foi feita pelo desenvolvedor chileno Felipe Hoffa, que trabalha para o Google. Ele encontrou o site Cidadão SP, que começa a minerar criptomoedas assim que o usuário acessa sua página principal.

É fácil comprovar que Hoffa está certo. Ao entrar no site, o uso da CPU do computador automaticamente dispara, o que mostra que o desenvolvedor nem mesmo se preocupou em colocar um limite de uso do processador do usuário. Como se isso não fosse suspeito o bastante, basta entrar no código-fonte da página para encontrar informações sobre o CoinHive logo na primeira linha do código.

Reprodução

A notícia parece ter causado uma reação rápida. O código foi removido pouco tempo depois da publicação de Felipe Hoffa e a repercussão do caso; como resultado, a página já não consome mais quantidades colossais de CPU.

Os problemas nessa prática são vários. Primeiro, está o fato de que o visitante da página não é consultaod; em seguida vem o fato de que o computador do usuário que tem seu processador “sequestrado” vai invariavelmente ficar mais lento, podendo causar travamentos ou até mesmo superaquecimento. Também é uma questão importante saber quem estava recebendo o dinheiro da mineração das moedas em um site público e definir se a página foi vítima de algum ataque externo, ou se isso é fruto de algum desenvolvedor mal-intencionado.

Olhar Digital contatou a assessoria do governo de São Paulo pedindo esclarecimentos e atualizará este texto se houver alguma manifestação.

Fonte: OlharDigital

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação