Serviço Médico Domiciliar de Rondônia projeta ampliação de equipe para melhorar atendimento em 2017


Atualmente, na rotina de trabalho das 7h às 19h, com plantões em fins de semana, quatro equipes fixas atendem a pacientes em casa; e uma delas faz a desospitalização [retirada daqueles que têm alta].

Essas equipes totalizam cerca de 40 pessoas. Cada equipe é formada por assistente social, auxiliar de enfermagem, enfermeiro, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, médico, motorista e psicólogo. Ao todo, o Samd tem 65 funcionários.

“Necessitamos contar com mais profissionais porque a demanda tem crescido significativamente nas zonas Sul e Leste de Porto Velho”, disse a coordenadora do órgão, Sâmia Rocha.

A ampliação da equipe depende da convocação da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) e, sobretudo, da boa vontade dos profissionais. “Eles devem ter perfil adequado ao atendimento domiliciar”, alertou.

É comum na saúde pública, conforme lembrou Sâmia, a resistência de profissionais de diversas áreas em deixar clínicas, hospitais e consultórios para se dedicar ao atendimento domiciliar, no qual é essencial jeito e paciência para lidar com famílias inteiras, cada qual com suas peculiaridades.

Até a segunda quinzena de novembro, o Samd atendia a 187 pacientes em casa, mas já alcançou mais de 200 neste ano. Todos tiveram alta e foram transferidos aos cuidados do Programa de Saúde da Família.

Em 2016, a parceria com o Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro possibilitou a desocupação de 20 leitos. Os internados foram para casa, fazendo a Sesau cumprir um dos principais requisitos do programa original, do Ministério da Saúde.

Sâmia destacou que as parcerias funcionaram bem neste ano. O Samd recebeu apoio do Centro de Reabilitação de Rondônia (Cero), Centro de Medicina Tropical (Cemetron), Hospital de Base, Hospital João Paulo II, Laboratório de Patologias e Análises Clínicas (Lepac) e Policlínica Oswaldo Cruz (POC).

Sâmia Rocha, coordenadora do Samd explica como se dará a ampliação da equipe

Sâmia Rocha, coordenadora do Samd explica como se dará a ampliação da equipe

Recebeu nebulizadores, aspiradores portáteis. Do Cero, obteve cerca de cem unidades de locomoção: andadores, cadeiras de roda, muletas e outras. O João Paulo oferece uma ambulância.

“Parcerias são importantíssimas, porque aqui precisamos constantemente exames de imagem e consultas de especialidades”, assinalou a coordenadora.

Não apenas o trabalho rotineiro se destacou entre os serviços de saúde prestados à população. “Continuamos cuidando de vítimas de tiros e faca, e eles permanecem conosco o tempo necessário até o estado de saúde se estabilizar”.

Segundo a coordenadora, para poder comportar recursos, o Samd deverá sair de onde se encontra, no bairro Cidade Nova. Não porque ficou pequeno, mas pelas consequências que lhe trarão a ampliação da equipe.

Fonte: Secom – Governo de Rondônia

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação