Semusa alerta para o diagnóstico precoce da Hanseníase


O último domingo de janeiro (27/1) é lembrado como ‘Dia Mundial de Luta contra a Hanseníase’, em consideração a data, a Secretaria Municipal de Saúde de Porto Velho (Semusa) faz um alerta quanto a importância do diagnóstico precoce e para o tratamento da doença.

O Brasil ocupa o 2o lugar no ranking mundial de casos de Hanseníase, ficanto atrás apenas da Índia. São cerca de 30 mil novos casos por ano. A falta de informação ajuda a agravar o problema, as pessoas precisam se informar sobre a doença.

Situação da Hanseníase em Porto Velho

Em 2017, foram diagnosticados 79 casos novos de Hanseníase. Dois deles em menores de 15 anos. Em 2018, dados parciais (Sinan-Net), apontam 102 casos de Hanseníase, dois deles em menores de 15 anos.

A hanseníase é uma doença infecciosa e contagiosa que causa manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas na pele. A pele também pode ter alteração de sensibilidade e o paciente não sente (ou tem sensibilidade diminuída) ao calor, frio, dor e mesmo ao toque. É comum ter a sensação de formigamentos, fisgadas ou dormência nas extremidades (pés e mãos) e em algumas áreas diminuições do suor e de pelos.

O paciente pode ter dificuldades para segurar objetos, pode queimar-se e não sentir ou, por exemplo perder os chinelos sem perceber. A doença pode provocar o surgimento de caroços e placas em qualquer local do corpo.

A transmissão ocorre através do contato direto com doentes sem tratamento, pois estes eliminam os bacilos através do aparelho respiratório superior em meio às secreções nasais e gotículas da fala, tosse e espirro.

Tratamento nas unidades básicas de Saúde

A Hanseníase tem cura. O tratamento é feito nas Unidades de Saúde do Município e é gratuito. A cura é mais fácil e rápida se o diagnóstico for precoce. O tratamento da Hanseníase é via oral, constituído pela associação de 02 ou 03 medicamentos e é denominado poliquimioterapia (PQT), padronizado em todo o Brasil. O paciente que inicia o tratamento não transmite a doença a familiares, amigos, colegas de trabalho ou escola.

Programação Alusiva ao Dia Mundial de luta contra a Hanseníase

Dia 31/01/2019 Pit Stop

Local: Av. Carlos Gomes com Rua Brasília, horário: 7:30 as 8:30

Pit stop: a estratégia é divulgar para a população informações sobre os sinais e sintomas da hanseníase, tratamento e o combate ao estigma e preconceito, através da distribuição de panfletos.

Dia 01/02/2019

Local: CEM(Centro de Especialidades Médicas) horário: 8:00 h

Palestra sobre a Hanseníase, e também início do primeiro grupo de autocuidado municipal para pacientes de Hanseníase.

Fonte: Comdecom

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação