RONDÔNIA PELA EDUCAÇÃO: Parceria com Microsoft pode melhorar uso das tecnologias da qualidade do ensino


O Movimento Rondônia pela Educação, liderado pela Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (Fiero) e apoiado pelo Governo do Estado, Seduc, Semed, Conselho Estadual de Educação e mais de 50 entidades e instituições, realizou reunião com representantes da área de educação da empresa Microsoft, com a finalidade de discutir futura parceria e adesão.

Antônio Moraes, do núcleo de educação da Microsoft, apresentou as tecnologias disponibilizadas gratuitamente pela empresa, que podem ser utilizadas em favor da educação. “O mundo inteiro passa por essa problemática de metodologias de ensino dos séculos XIX e XX para alunos do século XXI. A dificuldade é generalizada. O mundo mudou e precisamos fazer o aluno pensar, ser crítico e criativo. Estamos aqui para mostrar como podemos ajudar e agregar na educação com os programas que temos”, explicou.

“Nós disponibilizamos para as instituições de ensino o Office 365, que auxilia a escola a economizar tempo e a ser mais produtiva. Temos ainda o OneNote, um bloco de anotações de classe que permite a distribuição de tarefas e notas. Esses programas otimizam o tempo dos professores, permitem acompanhamento melhor do desenvolvimento educacional dos alunos e tornam o ambiente escolar mais atrativo para crianças e jovens”, pontuou Moraes.

Ronney Rios, da Microsoft, destacou ainda que pode ser feito um termo de cooperação entre Microsoft e as instituições que compõem o Movimento, para capacitação de professores no que tange a utilização das tecnologias disponibilizadas pela instituição. “Trabalhamos com uma equipe de professores embaixadores da Microsoft, com educadores que fazem parte do quadro da companhia, mas que se dedicam única e exclusivamente a capacitar profissionais da educação no uso da tecnologia em sala de aula”, explicou.

Outro ponto destacado por Antônio Moraes foi o baixo desempenho do Brasil nos indicadores educacionais como IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) e PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes). “A equação é uma só, a produtividade de um país está diretamente ligada a qualidade do ensino que oferta. Estamos em um patamar em que é preciso cinco brasileiros para produzir o que um americano produz. Nosso país perde investimentos importantes por conta dessa baixa produtividade”, frisou.

O presidente do Sistema Fiero, Marcelo Thomé, reforçou que este é um quadro preocupante. “Nós necessitamos urgentemente obter o retorno do investimento feito em educação. Vivemos em um país que investe 20 anos na educação de uma pessoa, para 36% dos que terminam a graduação, permanecerem na condição de analfabetos funcionais. Isto impacta na produtividade da indústria, no desenvolvimento do país e na perda de importantes investimentos”, reforçou.

“Necessitamos quebrar paradigmas conservadores da educação e construir o cenário que agregue valor na educação de crianças e jovens da nossa região. Precisamos fornecer aos nossos professores capacitações no âmbito tecnológico para melhor prepará-los para a difícil tarefa de educar. Nosso papel é fazer com que o Movimento Rondônia pela Educação permita o acesso as boas práticas para nossas escolas. O caminho está aberto, pois contamos com o apoio dos governos do Estado e Município, das Secretarias de Educação, do Conselho Estadual de Educação e outras entidades. Agora é o momento de juntos construímos soluções”, concluiu.

A reunião contou com a participação de técnicos da Seduc, colaboradores da área de educação do Senai-RO e Sesi-RO, do diretor regional do Senai-RO, Valério Duarte, do superintendente do IEL-RO, Edgar Teixeira e da coordenadora Estadual do Movimento Rondônia pela Educação, Raquel Serbino.

Fonte: Assessoria

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação