Rondônia entra em período de defeso do tambaqui e pesca é proibida até março de 2020


A pesca profissional e amadora de tambaqui nativo está proibida em todos os rios e afluentes de Rondônia. A proibição ocorre por conta do período de defeso determinado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), para que os peixes possam reproduzir. A determinação passou a valer no dia 1º de outubro e se estende até 31 de março de 2020.

Conforme a Sedam, em novembro outras espécies entram no período nas seguintes datas:

  • Pirarucu: de 1º de novembro a 30 de abril de 2020;
  • Demais espécies: de 15 de novembro a 15 de março de 2020.

A pasta informou que a distinção de datas está relacionada ao período de reprodução das espécies. Nesse período, pescadores profissionais, segundo a Sedam, só podem pescar até cinco quilos do peixe apenas para consumo familiar.

Ainda conforme o órgão, a pesca durante o período de defeso é considerada uma infração ambiental, de acordo com os limites previstos da Portaria 428/2018, da Sedam.

A Portaria ainda determina que, até o segundo dia útil após o início do defeso, frigoríficos, peixarias, entrepostos, postos de venda, bares, hotéis, restaurantes e similares devem declarar ao órgão ambiental competente sobre os estoques de peixes in natura, resfriados ou congelados provenientes dos rios do estado.

A fiscalização in loco está sendo feita pelo Batalhão da Polícia Ambiental em todos os rios e afluentes do Estado de Rondônia.

Quem for pego realizando pesca ilegal no período de defeso, os pescadores profissionais e amadores podem sofrer vários tipos de penalidades, desde recolhimento dos utensílios usados na pesca até a prisão e multa, segundo informações do Comandante do Batalhão da Polícia Ambiental, Major Washigton.

As denúncias do pescado irregular, podem ser feitas pelo número 190.

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação