Rodovia Isaac Bennesby


Isaac 2

Desde sexta-feira (30/06/2017) a BR-425, que liga a BR-364 à Bolívia, passando por Guajará Mirim, é denominada Rodovia – ISAAC BENNESBY. É uma homenagem ao ex-prefeito de Guajará Mirim – Isaac Bennesby. A homenagem é necessária e justa, ainda que tardia.

O Isaac eu conheci nos anos 50, em Manaus, quando tínhamos pouco menos de 10 anos de idade. Eu um tanto retraído e ele um menino expansivo, alegre e generoso. Ainda menino ele já compartilhava com os amigos os seus brinquedos e suas alegrias.

Cheguei a ele por intermédio de um vizinho dele e primo meu – Nilson – que há poucos dias reencontrei, pela internet, depois de mais de 50 anos sem que nos víssemos ou falássemos.

Foi o Nilson que me apresentou ao Isaac que alguns anos mais tarde viria a ser também meu colega no curso ginasial. Foi a partir daí que a nossa amizade se consolidou.

Ao final do hoje chamado “ensino fundamental” partimos de Manaus para o Rio de Janeiro onde cursamos o agora “ensino médio”, ele no Instituto Lafayette e eu na Escola Técnica Federal do Rio de Janeiro. Quase todos os finais de semana nos encontrávamos para estudar ou nos divertirmos. Sempre estávamos juntos e foi por conta disso que ao final do nosso curso universitário ele convidou-me (e eu aceitei) para vir trabalhar em G. Mirim.

O Isaac e eu chegamos à Perola do Mamoré muito jovens, cheio de energia e ideais. Eu trabalhava numa das empresas do Grupo Bennesby onde permaneci por cinco anos e me desliguei ao mudar para Porto Velho. O Isaac continuou na fronteira dedicando-se aos negócios da família que haviam sido inaugurados pelo seu pai o velho Saul. Nesse tempo eu já havia casado com a Graça, minha companheira até hoje. O Isaac, que casara antes de mim, tinha como esposa a Maria Eugênia Dantas Montenegro que passou a ser também Bennesby e deu a ele três filhos: Rodrigo, Andrea e Bruno.

Andre e Bruno

Andrea e Bruno

Depois de algum tempo o Isaac, antes tão refratário a política partidária, entusiasmou-se com o Estado, que nascia naqueles dias, e decidiu tomar parte nas mudanças filiando-se a um partido político e disputando a primeira eleição para prefeito da cidade que agora era sua paixão.

Foi eleito e realizou um grande trabalho. Seu nome antes restrito a fronteira com Guayaramerin chegava agora também a Vilhena, tudo fruto da sua administração. Guajará Mirim brilhava, sorria, chamava atenção de toda Rondônia. Isaac se lança candidato a Dep. Estadual e se elege com excelente votação, deixa de ser um homem de G. Mirim para ser um homem de Rondônia e, certamente, com a eleição garantida para Dep. Federal.

Isaac, todavia, prefere voltar a ser prefeito de G. Mirim e se elege sem dificuldades.

Nas duas gestões, Isaac Bennesby acumulou um sem número de exitosas ações e realizações. Ele era diferente. Negligenciava da própria saúde dedicando-se a administração pública incessantemente. Ele era prefeito 24 horas por dia em detrimento de si mesmo, da família e das suas coisas.

Um dia, depois de inúmeros apelos (sem sucesso) ao Ministério dos Transportes/DNER, o Prefeito Isaac juntou uns poucos recursos que tinha na Prefeitura e começou a asfaltar a BR-425 a partir de G. Mirim, o MT/DNER não teve escrúpulos e impediu o Isaac de prosseguir na obra a custo zero para o Governo Federal. Proibiram o Isaac de continuar a obra que o Governo Federal só viria realizar muitos meses depois, talvez anos.

No fim da vida tão precocemente encerrada, restou-lhe o carinho, respeito e admiração do povo guajamirense pelo qual tanto ele lutou e o amor da família que ele construiu.

Morreu pobre, como todo político trabalhador e honesto.

Agora, alguns anos depois do seu passamento homenageiam, ainda que tardiamente – repito, o meu amigo Isaac Bennesby dando o seu nome à estrada que não deixaram ele pavimentar e que muito em breve haverá de ser importante corredor de acesso ao Oceano Pacífico.Isaac 4

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação