Ribeirinhas participam do 1º Encontro de Mulheres do Médio e Baixo Madeira


As comunidades ribeirinhas ao longo do Rio Madeira foram representadas por suas mulheres que tiveram voz e vez no 1º Encontro de Mulheres do Médio e Baixo Madeira, que aconteceu nos últimos dias 10 e 11 de março. O Governo de Rondônia, com objetivo de estreitar relações e buscar assistir de forma eficaz esta população, realizou o encontro para mapear e buscar atender as demandas por elas solicitadas, por meio dos pré-encontros em todos os distritos e comunidades ribeirinhos durante todo mês de fevereiro.

O barco saiu de Porto Velho na quinta-feira, 10, com destino ao distrito de Demarcação, às margens do Rio Machado, a 202 km de Porto Velho. Durante o percurso, ao passar por comunidades e distritos, uma voadeira fazia o trabalho de buscar às margens do rio as participantes. A primeira a subir foi Lenira Gomes Cordeiro, de Cujubim Grande. “É a primeira vez que recebemos um evento como esse, para que todas possam falar e solicitar os serviços oferecidos pelo Estado e município para as famílias  das comunidades”, declarou.

Encotro Mulheres Ribeirinhas (814)Seu Amorim, um artesão de mão cheia e poeta por natureza, foi um dos poucos homens no barco falou da felicidade que foi de participar deste encontro. “Estou aqui porque minha esposa pediu que viesse a representando. O Governo está abrindo os olhos e os ouvidos para o nosso povo que tanto necessita de uma mão amiga”, disse.Mulheres dos distritos e localidades porto-velhenses da Agrovila Aliança, Boa Vitória, Bonfim, Brasileiras, Bonserá, Bonserazinho, Calama, Cavalcante, Conceição da Galera, Cujubim, Cuniãzinho, Demarcação, Esperança, Ilha de Iracema, Jamarizinho, Independência, Laranjal, Maicí, Nova Aliança, Papagaios, Pombal, Nazaré, Resex-Cuniã, Ressaca, Rio Preto, Tira-fogo, Vista Alegre, estiveram no encontro e puderam solicitar os serviços básicos para suas comunidades, a exemplo de Vânia, do Distrito de Nazaré, que reivindicou uma Lancha para o Posto de Saúde para o transporte urgente de pacientes em estado grave para os hospitais de Capital; e a dona Rosa, do Distrito de Demarcação, que reivindicou melhorias na infraestrutura da comunidade e ampliação do ensino na escola que atende aquela localidade, para que não mais seja preciso que mandem seus filhos para estudar em outros distritos ou na cidade.

Representando a prefeitura de Porto Velho, a administradora do Distrito de Calama, Priscila Pantoja, falou da importância do encontro para o desenvolvimento das comunidades ribeirinhas. “Isso representa um progresso para as nossas comunidades”, salientou.

Encotro Mulheres Ribeirinhas (534)Durante o encontro, foram ministradas palestras com o objetivo de melhorar a visão das mulheres em relação ao seu papel na comunidade onde elas vivem. Entre os temas, foi tratada a valorização e o preço sobre os produtos produzidos pelas mulheres das comunidades, como tapetes, pinturas em guardanapos e crochê.

Fonte: SEAS / Leandro Morais

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação