Representante da FBB avalia projeto de exploração do babaçu no Joana D`Arc


Assessor da FBB Clayton Maciel (de boné) visita Projeto de Assentamento Joana D`Arc em Porto Velho

Assessor da  Gerência de Monitoramento e Avaliação (Gemav) da Fundação Banco do Brasil, Clayton Maciel visitou, na ultima semana, o Projeto de  Assentamento Joana D`Arc  I e II, em Porto Velho , para acompanhar o trabalho da ONG Raiz Nativa voltado para a exploração  organizada da cadeia do babaçu e fortalecimento de outras atividades dos pequenos agricultores.”O babaçu é abundante na região e tem um grande potencial econômico, além de exercer um importante papel na preservação do meio ambiente, mas é subaproveitado na região”, segundo o diretor da entidade, Elias Correa Alves .

“As visitas anuais do representante da Gemav são uma oportunidade de avaliar a realização dos projetos –  se os mesmos estão atendendo aos objetivos propostos – e também de entrar em contato, conhecer os parceiros do trabalho e garantir a transparência da aplicação dos recursos da FBB junto aos órgãos de controle”, explicou o assessor.

Assessor da Fundação Banco do Brasil elogiou o trabalho realizado pela ONG Raiz Nativa no projeto de assentamento.

Assessor da Fundação Banco do Brasil elogiou o trabalho realizado pela ONG Raiz Nativa no projeto de assentamento.

O projeto desenvolvido pela Raiz Nativa, com apoio da FBB, atende a mais de 150 famílias do Joana D`Arc , em parceria com o Governo Federal, Fundo Amazônia e  BNDES  Além da cadeia do babaçu, também é  direcionado para o aprimoramento de outras atividades desenvolvidas dentro do projeto de assentamento, com destaque para a produção de mudas para o reflorestamento de áreas degradadas.

Capacitação

Para o desenvolvimento específico do babaçu, integrantes da Associação dos Produtores Rurais da Linha Quinze  (ASPRORULQ)  receberam capacitações e qualificações em áreas multidisciplinares para potencializar o uso da palmeira, através do manuseio, aproveitando toda matéria prima para produzir e comercializar seus subprodutos, explica a  responsável técnica pelo Projeto, Neide Faccin.

Por meio do projeto, a Raiz Nativa disponibilizou um equipamento de  beneficiamento do babaçu no Joana D’Arc, que está pronto para  a extração do óleo e do mesocarpo da fruta e a confecção de peças artesanais com a casca do babaçu.

Clayton Maciel afirma que verificou resultados positivos da atuação da Raiz Nativa no assentamento. “Pude verificar que os agricultores estão bem estruturados e trabalham com profissionalismo e que o projeto está sendo implementado de forma produtiva”, afirmou.

Fundação Banco do Brasil

A FBB atua com dois grandes programas na Amazônia, o Ecoforte Redes, voltado para o estímulo ao empreendedorismo  econômico solidário,  e o Ecoforte Extrativismo, no qual está incluído o babaçu.  Os programas são realizados em parceria com o Governo Federal, Fundo Amazônia e BNDES.  Clayton Maciel informa que atualmente, o órgão está elaborando o orçamento bianual, de 2017 e 2018 e não há uma definição sobre a abertura de novos editais para a implementação de projetos da Fundação Banco do Brasil.

Fonte:  (Ana Aranda – assessoria de imprensa)

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação