Prefeitura vai elaborar plano de combate à poluição sonora


A Prefeitura de Porto Velho vai realizar estudo para embasar a elaboração da Carta Acústica do Município. O documento dará uma visão dos ruídos com os quais as pessoas convivem diariamente e o que poderá ser feito para reduzir o índice de poluição sonora.

O trabalho está sob a responsabilidade da Subsecretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema), por meio do Departamento de Gestão de Políticas Públicas Ambientais (DGPA), onde está vinculada a Divisão de Monitoramento da Qualidade Ambiental (DMQA).

Oficina – capacitação

Bióloga e gerente de monitoramento da Sema, Lucinara Camargo, esclareceu que a primeira fase do trabalho iniciou esta semana com uma oficina para os técnicos da Sema, fiscais e toda equipe de pesquisa e monitoramento. “Essa oficina serve como nivelamento de conhecimento para que a gente possa fomentar o começo da Carta Acústica de Porto Velho”, declarou.

O coordenador do projeto Carta Acústica de Fortaleza e fiscal da Prefeitura da capital cearense, Francisco Aurélio Chaves de Brito, participou das oficinas em Porto Velho. Ele prestou orientações aos técnicos da Sema. “Fiquei gratificado com a capacidade e o desejo da equipe de fazer esse projeto, de solucionar os problemas da cidade”, destacou.

Brito enfatiza que a Carta Acústica é uma ferramenta essencial para a qualidade ambiental. Ele afirma que os problemas oriundos dos ruídos podem causar até a morte em ocasiões extremas, além da perda da audição e problemas cardiovasculares, entre outros.

“A Organização Mundial de Saúde colocou o ruído em segundo lugar na sua lista de preocupação. Hoje, a poluição sonora é a que tem causado mais problemas e deterioração da qualidade de vida e saúde das pessoas”, finalizou.

Fonte: Sema/Comdecom

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação