PEC da prisão após condenação em 2ª instância já começa em banho-maria


Escolha de Ramos para presidir comissão é sinal de ritmo lento, ao gosto de Rodrigo Maia

Homem de confiança do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o deputado Marcelo Ramos (PL-AM) foi escolhido a dedo para presidir a comissão que vai analisar a proposta de emenda que estabelece prisão após 2ª instância. Ramos foi logo colocando água na fervura para garantir o ritmo de banho-maria: “Não tenho compromisso com prazo”. Sinal de que, como Maia é quem manda, isso vai demorar. Muito.

Rodrigo Maia não explica a sua má vontade em relação ao princípio da prisão após 2ª instância, mas manobra para retardar sua votação.

Como exerce forte influência sobre Davi Alcolumbre, Rodrigo Maia quase conseguiu abortar iniciativa idêntica no Senado. Quase.

Como a maioria do Congresso quer aprovar a prisão após 2ª instância, Maia, esperto, desistiu de impedir a votação. Mas garantiu ritmo lento.

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação