Padre diz que Bolsonaro é “bandido” e que eleitores devem confessar pecado


Um padre de Artur Nogueira, no interior de São Paulo, fez duras críticas a Jair Bolsonaro e ainda passou um sermão nos fiéis da cidade, que segundo ele, deveriam se confessar do pecado por elegê-lo presidente.

O pároco Edson Adélio Tagliaferro, da Igreja Matriz Nossa Senhora das Dores, ainda chamou Bolsonaro de bandido. A fala polêmica ocorreu durante uma missa exibida pela internet na noite da última quinta-feira, 2.

“Vocês querem que eu fale aquilo que todo mundo fala, que não deixam ele trabalhar? Não! Bolsonaro não presta. Bolsonaro não vale nada. E quem votou nele devia se confessar, pedir perdão a Deus pelo pecado que cometeu, porque elegeu um bandido para presidente”, disse o pároco.

Na homilia, o padre mostrou não ser isento na política, mesmo sendo alertado por fiéis e até pela própria mãe, e afirmou que Jesus morreu crucificado por “dizer a verdade”.

“Muitas pessoas dizem: padre, cuidado com o que você fala na homilia porque tem gente que não gosta. Ué, o que a gente tem que falar na homilia, senão aquilo que Deus nos pede para falar. Se a gente tá vendo que o governo não presta, o padre não pode falar que o governo não presta porque o povo não quer ouvir isso?”, indagou.

Durante a missa, o padre Adélio Tagliaferro orou pelos mortos, incluindo as vítimas da covid-19, e lembrou os fiéis que “nós ainda não temos ministro da Saúde”.

https://youtu.be/nzCPh7Pyggk

Em entrevista ao jornal O Nogueirense, o padre disse que o vídeo não passa o contexto do sermão. “Não sei porque estão passando isso, é ainda cortado em um trecho específico. Se pegarmos as leituras temos o contexto da fala. Sei lá o que estão querendo com isso”.

Fonte: Catraca Livre

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação