Operação da Polícia Federal investiga governador mineiro por desvio de verba


A instituição informou que as ações ocorrem sob sigilo por “determinações superiores”

Minas Gerais – A Polícia Federal (PF) iniciou nesta quarta-feira uma nova fase da Operação Acrônimo no Distrito Federal e em São Paulo. Um dos alvos da investigação é o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, e sua mulher, Carolina. A polícia informou que as ações ocorrem sob sigilo e que, por “determinações superiores”, não poderá fazer qualquer comentário sobre elas nas próximas 24 horas.
A Operação Acrônimo começou em outubro de 2014, quando agentes federais apreenderam R$ 113 mil em um avião que chegava ao Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília. Na época, a PF informou que tinha como foco o combate a uma “organização criminosa investigada por lavagem de dinheiro e desvios de recursos públicos”.

Entre os presos estava Benedito de Oliveira Neto, conhecido como Bené e dono da Gráfica Brasil. Naquele ano, ele atuou na campanha do então candidato e atual governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, que negou ser “objeto de investigação no processo”. O delegado Dennis Kali, então responsável pela operação, confirmou que o governador petista não era mesmo alvo da investigação.

Fonte: Agência Brasil

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação