Médico chinês que alertou sobre coronavírus morre infectado


Médico, que tinha 34 anos, morreu com infecção causada pelo coronavírus

Li Wenliang chegou a ser repreendido pelas autoridades chinesas, acusado de espalhar boatos online

O médico chinês Li Wenliang, o primeiro a alertar sobre a ameaça do coronavírus, morreu em decorrência da infecção. Sua morte foi confirmada pelo Hospital Central de Wuhan, onde ele trabalhava e estava sendo tratado.

No final de dezembro, Li publicou um alerta em um aplicativo chinês de mensagens aos colegas médicos sobre o surto, informando que sete frequentadores de um mercado local de frutos do mar haviam sido diagnosticados com uma doença parecida com a SARS e estavam internados.

Três dias depois, autoridades sanitárias do país o convocaram acusando-o de espalhar boatos online e perturbar gravemente a ordem social. Era uma tentativa de minimizar a gravidade do surto.

A morte do médico, confirmada nesta sexta-feira, causou revolta generalizada na China, onde ele foi visto como um herói.

De acordo com os jornais locais, Li, que era oftalmologista, teria pego o vírus ao tratar de uma mulher com glaucoma, infectada com o coronavírus.

Epidemia de coronavírus

As mortes causadas pelo novo coronavírus já passam de 600 e o número de pessoas infectadas não para de crescer. De acordo com o último balanço oficial, já são mais de 31 mil os casos. Além de China, a variante do vírus já chegou a países como os Estados Unidos, Austrália, Japão, França, Alemanha e a lista só aumenta a cada dia. No momento, 9 casos suspeitos estão sendo investigados no Brasil, segundo o Ministério da Saúde. Não ha nenhum confirmado até agora.

Quais sintomas do novo coronavírus

O novo coronavírus faz parte de uma ampla família de vírus e os sinais e sintomas clínicos são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado, com febre, tosse, falta de ar e dificuldades respiratórias. Em casos mais graves, pode haver síndrome respiratória aguda grave, condição que exige ventilação mecânica.

Como prevenir?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

  • evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
  • realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.
    Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
Limpeza das mãos está entre as recomendações

Limpeza das mãos está entre as recomendações

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação