Manifestantes protestam na porta da casa de Michel Temer em São Paulo


Dezenas de manifestantes do movimento Levante Popular da Juventude fizeram um ato na manhã desta quinta-feira, 21, em frente à residência, em São Paulo, do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB-SP). Observados por cerca de 25 seguranças da Vice-Presidência e 10 policiais militares, eles picharam “QG do Golpe” no chão em frente à casa. Eles espalharam cópias coloridas da capa da Constituição Federal, fotos do vice com a inscrição “Golpista” e cópias de notas de 100 dólares estampadas com a imagem do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Segundo Larissa Sampaio, uma das integrantes do movimento, o ato foi destinado a chamar a atenção para o que chama de golpe contra a presidenta da República, Dilma Rousseff.

— Nesse último período, em que há um golpe em curso, a gente viu que algumas pessoas têm sido centrais na articulação desse golpe. Aproveitamos o dia 21 de abril, dia do assassinato de Tiradentes para denunciar Temer, que tem sido um dos principais articuladores do golpe. Estamos aqui para denunciar ele [Temer] e o QG [quartel-general] do golpe, porque ele  tem feito da casa dele o espaço de articulação de novos ministérios, antes mesmo de o governo ter sofrido ou não o impeachment.Ele está agindo como presidente, lançando planos políticos, dizendo o que vai fazer, articulando ministérios, ou seja, se isso não for golpe, precisamos refazer nossos dicionários e a nossa história, porque isso se configura, na história do Brasil e na América Latina, como um golpe.

fora Temere Para Thiago Pacheco, um dos participantes do protesto, o grupo deve continuar uma jornada de manifestações pacíficas para “deixar claro à sociedade o golpe que está em curso no País”.

O movimento Levante Popular da Juventude programou fazer manifestações nesta quinta em São Paulo e no Ceará. No cronograma de ações, eles pretende, de hoje até 27 de abril, continuar fazendo manifestações nas principais na cidade do País. “Vamos participar das manifestações do dia 1º de Maio junto com as instituições e partidos contrários ao impeachment da presidente Dilma para reforçar à população que não vai ter golpe”, disse Larissa.

Fonte: R7

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação