Léo Moraes participa da Caravana da Integração BR 319


O deputado Léo Moraes (PTB) participa da diligência na BR 319 que liga Rondônia ao Amazonas. A proposta é fiscalizar a execução das obras de manutenção e trafegabilidade da rodovia federal.

“Sou presidente da Comissão Temporária na Assembleia Legislativa que visa cobrar e reivindicar por melhorias em nossa estrada federal e já incomodamos muito as autoridades, afinal a omissão e o desrespeito com os rondonienses são grandes”, relatou deputado.

Essa é a terceira inspeção da Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal. As vistorias analisam as condições da estrada e a realidade dos moradores da região. Segundo Léo, a recuperação da rodovia, além de gerar melhorias de trafegabilidade, oportuniza novos negócios e potencializa o desenvolvimento econômico local.

“Poeira, buracos, lama, falta de escolas e condições para escoar a produção agrícola foram alguns dos problemas que observamos durante a inspeção. Mesmo ciente que a prerrogativa seria dos parlamentares federais, não sossegaremos enquanto não retirarmos milhões de pessoas do isolamento e oportunizarmos, que nossa produção agrícola e pecuária seja comercializada na região”, explicou o parlamentar.

Com cerca de 900 quilômetros, a BR 319 foi construída entre 1969 e 1976. Por 15 anos, a rodovia foi uma importante rota de transporte entre o Amazonas e Rondônia. A partir dos anos 90 a manutenção da estrada foi abandonada, parte do asfalto de alguns trechos arrancado e pontes destruídas. Em 2008 uma nova manutenção da BR foi iniciada, porém as obras foram embarcadas diversas vezes por questões ambientais levantadas pelo Ibama, Ministério Público e ONGs internacionais.

A caravana saiu de Porto Velho no início desta semana e passou pelas cidades de Humaitá, Careiro Castanho e Careiro da Várzea, até chegar à capital amazonense, além de passar por comunidades domo Realidade e Igapó-Açu.

A comitiva de fiscalização terminou em frente ao Teatro Amazonas, ícone da cultura e arte no Norte Brasileiro. As condições de trafegabilidade da rodovia que interliga Rondônia com os estados vizinhos do Amazonas e Roraima têm trechos ruins.

“Saio dessa diligência convicto que não há impacto ambiental nas obras e que é possível associar o progresso à preservação ambiental. Isto é progresso sustentável. A nação brasileira possuiu essa dívida com todos nós, os legítimos amazônidas”, concluiu Léo.

Fonte: ALE/RO – DECOM

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação