Juíza decidirá pedido de soltura de Lula, que quer fortalecer oposição


O ex-presidente Lula está preso na sede da Polícia Federal em Curitiba (PR) Foto: Marlene Bergamo / Folhapress / 26-04-2019

Ao ser libertado, o ex-presidente pretende fazer um ato em frente à Polícia Federal de Curitiba, agradecendo apoiadores

Defesa de Lula pedirá hoje soltura do ex-presidente; juíza de Curitiba não tem prazo para decidir

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai protocolar hoje pedido para soltura do petista, com base na decisão do Supremo Tribunal Federal, que derrubou a possibilidade de prisão de condenados após confirmação da sentença na segunda instância do Judiciário. O pedido deverá ser julgado pela juíza Carolina Lebbos , da 12ª Vara de Execuções Penais do Paraná. Ela não tem prazo para decidir.

Entenda: ao proclamar o resultado do julgamento de ontem, os ministros do STF decidiram que a libertação dos condenados não será automática . Juízes terão de avaliar cada caso. O presidente da Corte, Dias Toffoli, afirmou que o Congresso tem autonomia para mudar a regra sobre o início do cumprimento da pena.

O que deve acontecer: ao ser libertado, Lula pretende fazer um ato em frente à Polícia Federal de Curitiba , agradecendo apoiadores que fazem vigília há um ano e sete meses. O ex-presidente planeja viajar pelo país, fortalecer a oposição ao governo e já definiu pontos que vão marcar sua atuação política . O petista não pode se candidatar a cargos públicos.

Repercussão: a força-tarefa da Lava-Jato criticou a decisão do Supremo e espera impacto em seu trabalho. “Está em dissonância com o sentimento de repúdio à impunidade no país” , afirmou em nota. Além de Lula, outros 14 condenados na operação podem ser soltos .

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação