Jovem paquistanesa é queimada viva por rejeitar pedido de casamento


Paquistanesa aponta para corpo de neta, que foi torturada e queimada viva, em Islamabad, no Paquistão

Uma jovem paquistanesa morreu nesta quarta-feira (1º) depois de sido torturada e queimada viva no nordeste do país, por se recusar a casar com o filho de seu ex-chefe, informaram a polícia e seus familiares.
Maria Sadaqat, de 19 anos, foi atacada por um grupo de pessoas na segunda-feira na aldeia de Upper Dewal, perto de Muree.
“Ela foi torturada e queimada viva. Nós a levamos para o hospital em Islamabad, mas morreu hoje por causa de seus ferimentos”, relatou Abdul Basit, o tio da vítima, nesta quarta-feira à AFP em frente ao setor de queimados do Instituto de Ciências Médicas do Paquistão (PIMS).
“Estava divorciado e era duas vezes mais velho do que ela. Ela rejeitou a proposta e deixou o emprego”, indicou Basit.
“Mas eles a atacaram”.
Segundo a polícia, a jovem apontou o diretor da escola privada onde trabalhava e quatro outras pessoas como sendo seus agressores, em um comunicado em seu leito de morte.
“Nós já prendemos um dos suspeitos, e estamos em buscas dos outros”, informou o oficial encarregado da investigação, Mazhar Iqbal.
É a segunda vez em pouco mais de um mês que uma paquistanesa é queimada por discordâncias conjugais.

 

 

 

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação