João de Deus se entrega para a polícia


João de Deus é acusado pelos crimes de assédio sexual e estupro(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

Médium se apresentou às autoridades pouco depois das 16 horas deste domingo

O médium João de Deus se entregou a polícia na tarde deste domingo (16/12), informou o advogado Alberto Toron, que faz a defesa do religioso. O defensor disse que não poderia informar ainda o local onde ele se apresentou as autoridades.
João de Deus era considerado foragido desde o sábado (15/12), após a polícia ter procurado ele, sem sucesso, em mais de 30 endereços apontados pela investigação. João de Deus é acusado pelos crimes de assédio sexual e estupro por mais de 300 mulheres, do Brasil e do exterior.
Pelo menos 30 vítimas foram ouvidas pelos procuradores que atuam no caso. Além de ser apontado como autor dos abusos por mulheres de 13 estados e do Distrito Federal, também ocorreram denúncias contra ele na Alemanha, Suíça, e outras nações.

Na última sexta-feira, a Justiça de Goiás havia decretado a prisão preventiva do médium. Ele é acusado de abuso sexual por mulheres que buscaram a Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, onde o líder espiritual atende.

Até o momento, foram coletados mais de 300 depoimentos. Diversas mulheres, inclusive a própria filha de João de Deus, alegam que sofreram abusos sexuais cometidos por médium. A prisão preventiva foi sugerida pelo Ministério Público porque João de Deus, em liberdade, poderia coagir testemunhas ou continuar fazendo novas vítimas nos atendimentos que realiza.

Depois de ser considerado foragido, João de Deus foi até a uma estrada de terra nas proximidades de Abadiânia, na região central do estado. Ele é acusado de praticar abusos sexuais durante tratamentos espirituais. De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, o médium se apresentou espontaneamente ao delegado titular da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic). Ele foi acompanhado de seu advogado e levado para uma delegacia local. João de Deus já foi alvo de mais de 300 denúncias de abuso sexual. Sua prisão foi decretada na última sexta-feira (14) pela Justiça de Goiás. Na manhã de sábado (15), a Secretaria de Segurança Pública de Goiás afirmou que não havia prazo determinado para considerar o médium foragido. As buscas estavam sob responsabilidade da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), da Polícia Civil de Goiás. Até ontem, a polícia visitou pelo menos 30 lugares em busca do suspeito.

Além disso, segundo o Ministério Público Estadual de Goiás (MP-GO), citado pela TV Anhanguera, o médium pode ter tentado ocultar patrimônio, já que as investigações apontam que ele retirou R$ 35 milhões de contas e aplicações financeiras.

A prisão de João de Deus aconteceu por volta de 16h30. Ele chegou na Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) por volta de 18h. Ao chegar no local combinado com os policiais, o médium explicou para a jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo, os motivos que o fizeram se entregar neste domingo.

“Na hora em que eu fiquei sabendo, eu me entrego à justiça divina e à Justiça da Terra, que eu prometi, e estou indo agora me entregar, porque eu fiquei sabendo pelo meu advogado que está aqui presente”, declarou.

A Polícia Civil de Goiás informou que não foram utilizadas algemas na operação e que ainda não há um local definido para o médium ficar detido.

Imagens divulgadas pelo canal de TV Globonews mostravam o médium saindo de um automóvel em uma estrada de terra antes de se entregar aos policiais. Vestindo uma camisa branca, ele tinha um semblante abatido.

 

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação