Homem exagera na dose de Viagra e acaba com doença sem cura na visão


É um erro achar que aumentar a dose do remédio vai potencializar a eficácia e ainda por cima não trará nenhum mal. Um americano de Massachusetts sentiu os efeitos na pele -ou melhor, nos olhos- ao exagerar na dose de Viagra e ficar com manchas na visão. O caso foi publicado na revista científica Jama Ophthalmology.

O paciente de 50 anos se empolgou na hora de se medicar e bebeu uma garrafa inteira de Viagra. No total, ele ingeriu 30 ml do medicamento de uma vez só (uma quantidade de 750 mg de sildenafil -o ingrediente ativo do Viagra-, totalizando uma dose quase dez vezes maior que a recomendada, que é de 80mg).

Ele podia estar buscando um efeito mais potente, mas no lugar começou a ter problemas para enxergar. Após o uso, o homem via o que classificou como “um anel ou uma rosquinha” que não parava de atrapalhar sua visão.

Depois de passar dois meses com o incomodo, o paciente foi ao médico e os exames mostraram que havia problemas nas células da retina, que são sensíveis à luz e a convertem em sinais elétricos que são enviados para o cérebro.

Mas o que o Viagra tem a ver com os olhos?

Bom, todo mundo já sabe que o Viagra funciona para evitar a disfunção erétil e garantir a ereção, e ele faz isso ao inibir uma enzima chamada fosfodiesterase 5, que trabalha na regulação do fluxo sanguíneo para o pênis.

Porém, o sildenafil também tem o poder de inibir uma enzima que é encontrada nas células da retina. Ao ingerir a droga em altas doses, essa inibição leva ao acúmulo de uma molécula que é tóxica para as células da retina, e é daí que as alterações na visão vêm.

Infelizmente, não há tratamento para doença e o paciente em questão deixou de aparecer nas consultas de acompanhamento, acabando com as chances de um registro final para saber se a visão tinha melhorado de alguma maneira.

Os médicos responsáveis pelo caso acharam importante registrar a ocorrência para que oftalmologistas soubessem da ligação entre o Viagra e a lesão na retina para aconselhar pacientes e conseguir diagnósticos pontuais.

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação