Hermínio diz que juíza fez justiça ao bloquear R$ 18,5 mi nos bens de envolvidos no escândalo da ponte


O deputado Hermínio Coelho (PDT), que denunciou o caso do escândalo da ponte do anel viário de Ji-Paraná, comemorou a decisão liminar concedida pela juíza Inês Moreira da Costa ao bloquear os bens dos envolvidos até o valor de R$ 18,5 milhões.

A magistrada indispôs os bens móveis, imóveis, semoventes e contas bancárias de todos os réus, inclusive Ezequiel Neiva, ex-diretor do Departamento de Estadas de Rodagem (DER/RO) – que, um dia antes da decisão, pediu para sair e foi substituído pelo governador do Estado, Confúcio Moura (MDB).

Os R$ 18,5 milhões perfazem o total das transferências supostamente ilícitas já concretizadas pelo governo do Estado, após Ezequiel firmar acordo na Justiça Arbitral de Ji-Paraná para pagar à empresa Ouro Verde R$ 30 milhões a título de realinhamento.

Os outros R$ 11,5 milhões só não foram repassados porque o Ministério Público (MP/RO) agiu rápido e obteve decisão já no final do ano passado determinando o bloqueio do montante remanescente.

Sobre a decisão judicial, Hermínio Coelho comentou que “a juíza fez justiça. Embora o ex-diretor tenha saído pela porta da frente do governo do Estado antes mesmo da concessão da liminar, a magistrada foi ágil e objetiva ao bloquear os bens dos envolvidos. Tudo o que nós denunciamos está sendo comprovado a cada passo que a Justiça de Rondônia dá. Meus parabéns à juíza Inês Moreira por proteger o povo de Rondônia e os cofres públicos do Estado”, pontuou o parlamentar.

Fonte: ALE/RO – DECOM

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação