Grupo do MP-RJ conclui investigações sobre ‘rachadinha’ no gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj


O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) após prestar depoimentor ao Ministério Público Federal (MPF) na investigação que apura supostos vazamentos da Polícia Federal na Operação Furna da Onça, deflagrada em 2018 Foto: Jorge William / Agência O Globo

Autos foram submetidos para ‘tomada de providências’ do procurador-geral de Justiça do Rio e para o subprocurador-geral de Justiça de Assuntos Criminais e Direitos Humanos

O  Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc) concluiu nesta segunda-feira as  investigações no procedimento que apura a existência de “rachadinha” no antigo gabinete do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio. Os autos foram submetidos para “tomada de providências” do procurador-geral de Justiça do Rio, Eduardo Gussem, e para o subprocurador-geral de Justiça de Assuntos Criminais e Direitos Humanos, Ricardo Ribeiro Martins.

O Gaecc coordenava as investigações sobre peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa no gabinete de Flávio desde março do ano passado. Em junho, a 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) decidiu que o filho do presidente Jair Bolsonaro tinha direito a foro especial e enviou o caso para ser julgado na segunda instância, no Órgão Especial do TJ. Com isso, a investigação também se tornou atribuição da procuradoria-geral. Para que o Gaecc pudesse continuar nas investigações, a procuradoria-geral de Justiça formalizou um termo de cooperação do grupo de promotores com o procurador-geral. Desse modo, uma eventual apresentação da denúncia é de prerrogativa da procuradoria-geral.

Em nota, na noite desta segunda-feira, o MP disse que “tendo em vista as notícias veiculadas pela imprensa nos últimos dias, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) informa que o Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (GAECC/MPRJ) encaminhou, nesta segunda-feira (31/08), ao procurador-geral de Justiça, o procedimento criminal referente ao “Caso Flavio Bolsonaro”, comunicando a conclusão das investigações. Por essa razão, os autos, que estão sob sigilo, foram remetidos à Subprocuradoria-Geral de Justiça de Assuntos Criminais e de Direitos Humanos (SUBCRIMINAL/MPRJ) para prosseguimento”.

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação