Fugas das responsabilidades?


O Brasil deseja a paz e a consolidação democrática. Não se criam leis para serem descumpridas ao gosto do Poder Central. Leis são criadas para todos os brasileiros.

Há em curso uma das mais sérias investigações desenvolvidas no Brasil, no combate a corrupção. Em que possa parecer existir algumas omissões ou lentidões processuais, há de se pensar que volumes e volumes de anexos registrando investigações aqui e fora do país, crescem a cada dia, com novas juntadas, registrando provas, ouvindo depoimentos espontâneos e delações premiadas.

Esses documentos traduzem muito bem que, para evitar erros nas conclusões, denunciando ou isentando réus, se faz mister análises imparciais e abrangentes, pelo envolvimento de dezenas de envolvidos em escândalos que continuam, como resultado preliminar, a aparecer na mídia.

A equipe envolvida nesses processos – Ministério Público Federal, Justiça Federal e Polícia Federal – certamente composta por qualificados membros, por mais que seus chefes desejem, não possui a condição de computadores para rapidamente concluir seus trabalhos e, por isso, os efeitos são o que muitos imaginam como privilégios para alguns. Mas não é.

Essa demora, natural nas conclusões processuais e destinações, está sendo bem aproveitada pelo que, diante dos seus pronunciamentos públicos aos “companheiros”, o líder da desobediência civil, ex-presidente Lula da Silva, vem exercendo, ao convocar manifestações perigosíssimas para a paz nacional, como a que se começou a ver nesta 5ª feira (28) em vários estados, por movimentos pagos pelo Governo do PT, desde que assumiram o poder. Movimentos sempre utilizados ao critério de autoridades como Gilberto Carvalho, o católico da esquerda católica, seu articulador de outros tempos e que bem pode estar continuando seu trabalho de incentivar movimentos.

Lula faz tudo para se proteger das denúncias contra sua pessoa que poderá torna-lo um preso comum, com as perdas dos seus direitos políticos. A morte política de um líder em que grande maioria da sociedade acreditou, Para Lula e seus asseclas, isso é o que importa. E parece usar a própria situação da sua criatura na presidência, cuja monitoração fora do governo exerceu veladamente, para tentar obter o atendimento dos seus desígnios.

Como prometeu, ele é capaz de tudo, ainda que sacrifique a paz nacional em benefício próprio. Quer se transformar num preso político, para assegurar asilo político. Foi orientado para isso.

A crise está ficando muito grave para o cidadão brasileiro. Urge ações imediatas contra esses movimentos, sem tocar no ex-presidente, para que seus desejos de fuga das responsabilidades com o Brasil não se concretizem.***

 

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação