Cuidados para ir da caminhada à corrida: o que você deve saber


Falar sobre corrida é algo muito comum hoje em dia. Tão comum e aparentemente tão acessível que, com certeza, você que está lendo provavelmente já corre ou conhece alguém que corre. E se não conhece, é só caminhar um pouquinho pelas ruas que vai invariavelmente se deparar com um praticante.

O correr é algo natural da evolução do ser humano enquanto mecanismo de deslocamento rápido. Esse correr que chamamos de deslocamento básico, é algo que está muito longe da corrida sistematizada como exercício, prova ou desafio de superação pessoal.

Correr sistematicamente demanda muitos cuidados, pois em geral as provas ou treinamentos envolvem processos repetitivos e prolongados de estresse e sobrecargas mecânicas, fisiológicas e emocionais, às quais não estamos acostumados no dia a dia. Para entrar no processo de maneira segura, um bom planejamento evolutivo precisa ser feito de maneira absolutamente individual.

1º passo

A primeira etapa envolve conhecer o estado físico atual e passado do futuro corredor. Qual o histórico de atividades, tempo que está parado, movimentos e posições que executa naturalmente, alimentação, níveis de estresse, horas de sono, rotina diária, etc., enfim, um “raio-x” geral para saber os melhores passos a serem tomados.

2º passo

Depois disso, analisar e experimentar qual o tipo de corrida que agrada mais. Entre elas, estão: corridas curtas, longas, de aventura, de revezamento ou em equipes, na terra, no asfalto, com subidas, entre outras. Esse passo é um dos mais importantes, pois fazer o tipo de corrida que mais te agrada vai ajudar você a ter vontade de praticar regularmente, o que é essencial para uma boa evolução. Encontrar o local e horário que se adequem à sua rotina também irá facilitar muito as coisas.

Como começar

Para dar os primeiros passos, comedimento é a palavra. Pouco tempo e pouca velocidade devem ser respeitados. Fazer exercícios é um estresse para o corpo e seu sistema imunológico, que repara o estresse do exercício e precisa se acostumar gradativamente ao processo para que haja evolução e não prejuízo.

Encontrar um amigo ou um grupo de pessoas com mesmo nível que você pode ser uma boa alternativa para te motivar. E, como está apenas no começo, as intensidades que devem ser baixas, por ora não trarão problemas.

Alimentação, roupas, calçados, suplementos, provas e etc., devem ser pensadas ao longo do tempo e um profissional de Educação Física especializado pode te ajudar a determinar o momento certo de dar atenção a tudo isso.

Então, se você quer começar, eu sugiro além de pensar nos cuidados gerais normais com sua saúde e que todos deveríamos ter regularmente, procurar uma orientação específica profissional, e começar com “passos de bebê”, ou seja, lentos e curtos.

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação