Continuidade e expansão das ações do Sistema de Proteção da Ambiental são discutidas em Rondônia


De acordo com Cristiano Nascimento, diretor executivo da Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog), que acompanha a tramitação do acordo, trata-se da terceira renovação do termo de cooperação, que tem duração de cinco anos. A partir desta reunião, segundo ele, será montado um plano de trabalho para discussão entre os técnicos de secretarias do governo estadual sobre os novos focos de atuação. Em seguida, todas as informações serão condensadas pela Sepog e encaminhadas ao Sipam.

Canosa adiantou que a meta do Sistema de Proteção agora é atualizar a malhaviária rondoniense, contando com o apoio do Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER), além do trabalho que já é realizado no sentido de combater o desmatamento das unidades de conservação nas esferas estadual, federal e terras indígenas em parceria com a Sedam; e a recuperação de mananciais de abastecimento público em parceria com a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril (Idaron), Batalhão da Polícia Ambiental e Companhia de Águas e Esgotos do Estado de Rondônia (Caerd).

Como parte da expansão do trabalho de georreferenciamento, que hoje dá ênfase apenas à questão ambiental, o secretário estadual do Desenvolvimento Ambiental, Osvaldo Pitaluga, anunciou a intenção do governo de disponibilizar o laboratório da Sedam para a educação. A proposta é promover o controle de tudo que envolve esta área importante para o desenvolvimento humano desde a tenra idade.

O monitoramento dos riscos de desastres naturais, por exemplo, por meio de aplicativo do celular, foi apontado no momento pelo general como um dos avanços mais importantes, por disponibilizar todas as informações na mão do usuário.

Já o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Filipe Santiago Chianca Pimentel, responsável também pela Defesa Civil estadual, destacou a importância da parceria com o Sipam, observando que neste ano a Defesa Civil trabalhou de forma mais tranquila a questão das enchentes, isso devido às previsões do Sipam serem fornecidas com até seus meses de antecedência, facilitando a tomada de decisões. Ele também falou sobre o projeto de tornar a Defesa Civil independente do Corpo de Bombeiros com vistas a garantir recursos próprios para as ações de apoio aos atingidos por fenômenos naturais, como enchentes; ou provocados, a exemplo das queimadas.

Fonte: Secom – Governo de Rondônia

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação