Comandante da Aeronáutica perde o posto condenado por traficar cocaína em aviões da FAB


O Superior Tribunal Militar determinou a perda de posto e de patente de um coronel condenado por traficar cocaína em aviões da FAB (Força Aérea Brasileira). Ele já havia sido condenado na Justiça Federal a 16 anos pelo crime. Segundo o processo, o homem integrava uma quadrilha especializada na venda internacional de entorpecentes para a Europa.

O militar foi flagrado com 32 quilos de cocaína, escondidos em malas de viagens. Uma operação da Polícia Federal iniciada em 1999, batizada de “Mar Aberto”, apontou o esquema: porções de entorpecente eram transportadas por aviões da FAB com destino a Las Palmas, nas Ilhas Canárias, na Espanha.

Além da pena de 16 anos de prisão em regime inicialmente fechado, ele foi condenado a pagar 266 dias de multa – cada uma no valor de dois salários mínimos. Os outros dois oficiais da Aeronáutica acusados de envolvimento com o crime foram condenados a penas similares, e um deles perdeu o posto e a patente em novembro de 2011. Com a sentença transitada em julgado, o Ministério Público Militar entrou com ação junto ao Supremo Tribunal Militar para declarar o coronel indigno ao oficialato e pedir a perda do posto e da patente. (AG)

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação