Candidato que destruiu placa de Marielle é deputado mais votado no Rio; Entenda o que aconteceu


Rodrigo Amorim (PSL), um dos responsáveis por destruir uma placa feita em homenagem à vereadora Marielle Franco (PSOL), foi eleito o deputado estadual que recebeu o maior número de votos no Rio de Janeiro.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Amorim recebeu 140.666 votos, o que equivale a 1,82% de todos os votos válidos no estado. Além dele, o PSL elegeu outros 12 deputados para a Assembleia Legislativa do Rio.

Rodrigo Amorim postou foto no Facebook após destruir uma homenagem à Marielle. A vereadora foi assassinada no início do ano.

Entenda

Ele contou na postagem que, com o candidato a deputado federal Daniel Silveira, do mesmo partido, quebrou ao meio uma placa de nome de rua onde se lia Rua Marielle Franco. Aliados da vereadora assassinada tinham colocado a inscrição em uma das esquinas da Praça Floriano, na Cinelândia, onde fica a sede da Câmara Municipal.

No texto, Amorim afirmou que, em uma suposta “depredação do patrimônio público, (aliados de Marielle) removeram ilegalmente” a placa com o nome original, “colando uma placa fake (falsa) com os dizeres ‘Rua Marielle Franco’ em cima da placa original”. O candidato continua: “Cumprindo nosso dever cívico, removemos a depredação e restauramos a placa em homenagem ao grande marechal”. E conclui: “Preparem-se, esquerdopatas: no que depender de nós, seus dias estão contados”.

Na publicação, Amorim defende a punição a quem houver assassinato Marielle, e reclama que a esquerda se calou diante da morte de outras pessoas e da facada desferida contra Bolsonaro.

“É respeitável que o Jair, meu colega na Câmara, não tenha manifestado pesar quando Marielle morreu, como nós prontamente fizemos quando um criminoso o esfaqueou. Cada um reage como é do seu jeito, e não há nenhum problema nisso”, afirmou o deputado federal e candidato a senador Chico Alencar (PSOL). “Mas destruir uma homenagem a uma vereadora assassinada e se gabar disso é barbárie, é inacreditável”, continuou.

Para a reportagem da Veja Amorim criticou também o que classificou de “comportamento hipócrita” de grupos de esquerda que, segundo ele, protestaram contra o assassinato da vereadora, mas ignoram as demais vítimas da violência.

O deputado estadual e candidato ao Senado Flávio Bolsonaro (PSL) defendeu os correligionários que destruíram a placa. Flávio ganhou a disputa deste domingo com 31,36% dos votos.

(Com Estadão Conteúdo)

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação