Bolsonaro diz que Joaquim Levy – presidente do BNDES – está com “cabeça a prêmio”


O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado (15) que o presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, “está com a cabeça a prêmio há algum tempo”. Levy foi ministro da Fazenda durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff, do PT, e assumiu o banco público com apoio de Paulo Guedes, ministro da Economia do governo Bolsonaro

Bolsonaro falou com jornalistas quando deixava o Palácio da Alvorada para a Base Aérea de Brasília, de onde embarca para agenda no Rio Grande do Sul: “Estou por aqui com o Levy”, afirmou o presidente.

O motivo do descontentamento, disse Bolsonaro, foi a nomeação do advogado Marcos Barbosa Pinto para o cargo de diretor de Mercado de Capitais do BNDES. Pinto também trabalhou na gestão do PT. “Eu já estou por aqui com ele [Levy] e falei para ele ‘demita esse cara na segunda-feira ou eu demito você sem passar pelo Paulo Guedes, governo tem de ser assim, quando bota gente suspeita em cargos importantes e essa pessoa já vem há algum tempo não sendo leal àquilo que foi combinado, então ele está com a cabeça à prêmio já tem algum tempo”, disse Bolsonaro.

Haddad defende pivô da crise entre Bolsonaro e Joaquim Levy; presidente do BNDES pede demissão

O ex-ministro da educação do governo Dilma Rousseff e ex-candidato pelo PT à presidência da República nas últimas eleições, Fernando Haddad, defendeu a capacidade técnica do advogado Marcos Barbosa Pinto nas redes sociais, neste domingo (16). A nomeação do advogado  para um cargo de diretoria do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) foi o que gerou a manifestação do presidente Jair Bolsonaro, neste sábado, ameaçando demitir Joaquim Levy, presidente do banco público.

HADAD

Barbosa Pinto tinha sido assessor do BNDES durante a gestão de Dilma Rousseff. Ele próprio pediu demissão na noite de ontem, após a fala de Bolsonaro ser noticiada pelos jornais. “Tenho muito orgulho da carreira que construí ao longo dos anos, seja na academia no governo ou no mercado financeiro. Da minha experiência, achei que poderia contribuir para implementar as reformas econômicas de que o país precisa”, afirmou na carta divulgada pela GloboNews.

Após a fala do presidente Jair Bolsonaro, o presidente do BNDES, Joaquim Levy, confirmou para a imprensa que entregou uma carta pedindo seu desligamento do governo na manhã deste domingo para o ministro da Economia Paulo Guedes. Veja a íntegra abaixo.

Solicitei ao ministro da Economia Paulo Guedes meu desligamento do BNDES. Minha expectativa é que ele aceda.

Agradeço ao ministro o convite para servir ao País e desejo sucesso nas reformas.

Agradeço também, por oportuno, a lealdade, dedicação e determinação da minha diretoria. E, especialmente, agradeço aos inúmeros funcionários do BNDES, que têm colaborado com energia e seriedade para transformar o banco, possibilitando que ele responda plenamente aos novos desafios do financiamento do desenvolvimento, atendendo às muitas necessidades da nossa população e confirmando sua vocação e longa tradição de excelência e responsabilidade.”

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação