Biblioteca Municipal Francisco Meirelles tem espaço especial para deficientes visuais


A Biblioteca Municipal Francisco Meirelles há cinco anos desenvolve o trabalho de inclusão com Deficientes Visuais através do acompanhamento realizado na Sala de Braile. É uma sala totalmente aparelhada, com recursos de áudio, computadores adaptados e centenas de livros em braile. “Atendemos aos cegos e aqueles que têm baixa visão. Temos uma parceria com a Fundação Dorina Nowill para Cegos que todos os meses nos encaminha livros para que a gente consiga fazer a inclusão social. Além disso, aqui na biblioteca temos uma parceria com a Associação dos Deficientes Físicos de Rondônia. Temos uma frequência muito boa. Principalmente, quando realizamos projetos que atraem esses cegos para a biblioteca. Além disso, acadêmicos dos cursos de Pedagogia da Universidade Federal de Rondônia e demais faculdades do município frequentam o local que já foi, inclusive, objeto de monografia”, afirma Adson Kleber.

Robson André Souza, é estudante, nasceu com problemas visuais e perdeu a visão completamente aos nove anos. “Aprendi Braile aqui na cidade. Frequento muito este ambiente e tem muitos livros que já li. Hoje o que eu sei ensino para outros”, conta. João Bosco tem diabetes e sofreu um processo degenerativo, perdendo parte da audição e desenvolvendo um glaucoma que o fez perder completamente a visão. “Tive que readaptar a tudo. Busco nos computadores a acessibilidade. Uso programas que são desenvolvidos para cegos. E por mais que tenhamos condições os computadores têm que estar adaptados. Hoje procuro retornar as atividades da minha profissão para me reinserir no mercado de trabalho”, disse João.

Inclusao_biblioteca_800px_02Os empréstimos de livros em Braile funcionam em um regime diferenciado. “Respeitamos a condição de cada deficiente visual e do tempo que ele necessita para leitura. Temos um bom grupo que nos procura para fazer empréstimo. Poderíamos ter mais leitores, mas existem muitos que ficam cegos e não tem acesso ao aprendizado da leitura em braile. A leitura é importante, por exemplo, para o domínio da gramática e para que o cego possa passar em um concurso”, disse a coordenadora da sala, Genoveva Brasileiro. “Nosso acervo é diversificado, e vai desde livros como a Bíblia Sagrada aos Cinquenta Tons de Cinza. E aquele deficiente visual que não tem a leitura em braile pode ter acesso ao audiolivro”, explica Adson Kleber.

A procura por livros na biblioteca está crescendo. Para adquirir uma obra emprestada é necessário os seguintes documentos: RG, CPF, comprovante de residência. Nos casos de livros que não são em Braile o primeiro empréstimo é de apenas um livro durante sete dias, podendo ser renovado por telefone por mais sete dias. A partir do segundo empréstimo podem ser dois livros.

Inclusao_biblioteca_800px_01A Biblioteca Municipal Francisco Meirelles possui 40 anos de fundação e conta com um acervo de cerca de sessenta mil títulos entre periódicos, livros e outros. Também conta com espaços especiais, caso da sala de Braile, a sala de literatura infantil, a sala de literatura juvenil, a sala de literatura regional e a sala dos periódicos.

Fonte: Comdecom / Rebeca Barca

Fotos: Frank Néry

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação