AS PERNAS DOS CICLISTAS DO TOUR DE FRANCE — SERÁ QUE ISSO DÓI?


As pernas de Pawel Poljanski logo depois do 16º estágio do Tour de 2017

Afinal, essas veias saltadas são um bom ou um mau sinal?

 No ano passado, o ciclista polonês Pawel Poljanski (Bora-Hasgrohe), viralizou na internet depois que publicou uma foto de suas “pernas cansadas”, logo após o 16º estágio do Tour de France. E todos se questionaram, “o que de fato acontece com as pernas dos ciclistas depois de um esforço descomunal?”

A expansão de veias sob sua pele fina como um papel parecia uma aranhas lançando sua teia. Até minha mãe repostou perguntando: “Será que isso dói?!” Boquiabertas, as pessoas se perguntavam se um visual vascular era inspirador ou se Poljanski era simplesmente uma aberração da natureza.

E o polonês não é o único. O Team Sky compartilhou uma foto dramática das pernas de Chris Froome em 2014, e Antoine Duchesne também compartilhou uma foto sua depois do treino para o Tour, antes de perder a seleção em 2017.

As pernas dos ciclistas prós

team-sky-2

Quase todos os anos, aparece uma foto similar de um ciclista profissional no Tour. E, embora essas fotos sejam chocantes, as pernas vasculares não doem (ao contrário do esforço que os ciclistas fazem para elas ficarem com essa aparência). Conversamos com o especialista vascular Debabrata Mukherjee, médico chefe do departamento de medicina interna e chefe de medicina cardiovascular do Centro de Ciências da Saúde da Universidade de Tecnologia do Texas, em El Paso, para descobrir o que realmente está acontecem com as pernas dos ciclistas depois de pedalarem centenas de quilômetros.

“Estas veias proeminentes são explicadas por uma combinação de baixa gordura corporal e aumento significativo no sangue que flui através das pernas desses ciclistas de alto nível”, diz Debabrata. Os ciclistas do Tour de France têm pouca gordura corporal, por isso não há uma camada macia sob a pele para mascarar as veias, que sabemos que estão logo abaixo e próximas da superfície.

“Os ciclistas de alto nível também têm o dobro do fluxo sanguíneo para as pernas em comparação com os ciclistas amadores”, explica ele. Então, enquanto você pode ter cerca de 20 litros por minuto percorrendo suas pernas enquanto pedala, um profissional como Poljanski bombeia cerca de 40 litros por minuto através de seus pedais. “Isso contribui para veias salientes proeminentes”, diz Debabrata.

E se essas alterações metabólicas não forem o suficiente, a pressão sanguínea aumenta durante o exercício e pode forçar o fluido plasmático a sair das paredes dos vasos e a entrar em compartimentos em torno dos músculos. Esse processo, conhecido como filtração, causa inchaço e endurecimento do músculo, o que empurra todas as veias protuberantes ainda mais para a superfície da pele.

Eu também posso ter as pernas dos ciclistas do Tour?

1-2

Você deve criar sua própria rede vascular para também compartilhar em sua rede social? Não necessariamente. Embora elas possam chamar muita atenção, as veias proeminentes em si não são particularmente benéficas, e nem todo ciclista é geneticamente preparado para atingir a mesma estética. Isso explicado, Debabrata Mukherjee diz que algumas veias aparecendo na superfície cutânea é definitivamente um indicador de melhoria da condição física ou diminuição da gordura corporal.

“Uma vez que reflete menor gordura subcutânea e maior volume de sangue, quanto mais forte um ciclista treina, mais proeminente suas veias se tornarão”, diz ele. “É um sinal de que o atleta está chegando a um nível mais alto de desempenho”.

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação