Após vistoria, diretor do Dnit discorda de relatório da CNT sobre rodovias


Após vistoriar as BRs 429 e 425 o diretor de infraestrutura rodoviária do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit), Luiz Antônio Elret, discordou, na sexta-feira (13), do resultado do relatório divulgado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgado no início do mês que classificou as rodovias visitadas com situação regular e ruim.

De acordo com Luiz Antônio, o Dnit possui dados que comprovam a melhoria da estrada de Rondônia e que a pesquisa da CNT está equivocada. “Discordo e temos dados para comprovar. Eu testemunhei e todos podem ir e ver. Acredito que a pesquisa esteja equivocada”, afirma o diretor.

O diretor não concorda com os parâmetros da pesquisa, que definiu, por exemplo, a BR-425 como: ruim, de pavimento e geometria regular e péssima sinalização.

“A pesquisa tem alguns parâmetros que eu, como profissional, julgo equivocado, como por exemplo, quando a rodovia não é duplicada, eles colocam como conceito regular. Mas quem disse que toda rodovia brasileira tem que ser duplicada?”, questiona o diretor, alegando que, é necessário verificar a demanda e o volume do tráfego com a geometria da BR e que as rodovias de pista simples operam bem no estado.

O diretor afirma ainda que a partir do próximo ano, o departamento pretende divulgar os dados com uma determinada frequência site oficial da instituição para que a população possa saber as reais condições das rodovias e, posteriormente, sentar com as entidades que realizem pesquisas para debater os critérios de avaliação das pesquisas.

Dentre as duas rodovias vistoriadas pelo diretor do Dnit, o relatório da CNT aponta a BR-425 como a em piores condições. Segundo o diretor, nos últimos meses, a via foi restaurada e alguns pontos da estrada foram levantados, todo o pavimento foi reconstruído, além de ter sido implementado o acostamento e um novo sistema de drenagem. Ele garante que cerca de 75% da rodovia está com sinalização nova, pois a provisória foi toda substituída.

BR-425, em Guajará-Mirim, RO (Foto: Reprodução/TV Rondônia)

BR-425, foi restaurada há pouco tempo em RO

BR-425
A rodovia federal liga Abunã, distrito de Porto Velho, a Guajará-Mirim e passa pelo município de Nova Mamoré. A estrada tem 156 quilômetros de extensão no total. O levantamento da CNT aponta que a rodovia tem péssima sinalização, além de pavimentação e geometria regulares.

BR-429
A rodovia tem extensão de 376 quilômetros e liga seis municípios de Rondônia: Presidente Médici, Alvorada do Oeste, São Miguel do Guaporé, Seringueiras, São Francisco do Guaporé e Costa Marques. O relatório divulgado pela CNT diz que a BR-429 tem uma geometria ruim, Porém, pavimento e sinalização foram classificados como ótimo.

Relatório CNT
Os critérios de avaliação da CNT são dividos em: estado geral da pista, pavimento, sinalização, geometria e custo operacional. A Confederação conclui que serão necessários R$ 549,55 milhões em investimentos para a reconstrução, restauração e a manutenção dos trechos de rodovias danificadas.

 

Texto e Foto:  G1 – RO

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação