Ações de incentivo a produção impulsionam a cultura cafeeira em Rondônia


Nos últimos três anos, a cafeicultura de Rondônia, quinto maior produtor de café do país; e o segundo maior da espécie canéfora, teve aumento de 24% na produção e de 46% na produtividade. Resultados obtidos pelo maior uso de tecnologias no campo, como a substituição das lavouras antigas (seminais) por cultivos mais eficientes que utilizam clones adaptados à região e também aos produtores que estão fazendo uso de tecnologias como poda, adubação e irrigação. Ações que têm sido possíveis graças às políticas públicas, programas e subsídios que têm sido oferecidos aos cafeicultores de Rondônia.

O governo estadual tem dado atenção especial ao café nos últimos anos, por meio de ações da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) e da Empresa de Assistência e Extensão Rural (Emater-RO). Incentivos para a melhoria da qualidade e produtividade do café, como o Programa de Revitalização da Cafeicultura, a distribuição de mudas de café clonal, distribuição de calcário, articulação para a disponibilização de linhas de crédito incentivando a tecnificação da produção e a criação da Câmara Setorial do Café são algumas das ações realizadas e que foram essenciais para que a produção de café em Rondônia conseguisse aumento de produtividade e de qualidade.

A estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) é de que Rondônia produza 1,64 milhão de sacas beneficiadas de café nesta safra e o Governo de Rondônia está empenhado em saltar para quatro milhões de sacas até 2019, incentivando e oferecendo aos produtores condições para que isso ocorra.

O governo de Rondônia possui o Fundo de Apoio a Cafeicultura de Rondônia (Funcafé), que tem como objetivo estimular a produção e a produtividade de café, difundindo tecnologias de produção e incentivo à industrialização da cafeicultura de Rondônia, promovendo uma cadeia produtiva que gera emprego e renda para o estado. Entre suas ações, estão a criação de unidades demonstrativas de café que, em parceria com a Emater-RO, foram implantadas 15 unidades que são utilizadas para difusão de tecnologias disponíveis e de fácil acesso para cafeicultores e interessados, por meio de palestras em dias de campo, dias especiais, excursões e visitas individuais.

Também atua em apoio à pesquisa, em parceria com a Embrapa Rondônia trabalha com o diagnóstico da qualidade dos cafés do estado na fase de pós-colheita, auxiliando na tomada de decisão para a melhoria da qualidade do café. O Funcafé também apoia iniciativas que promovam a melhoria da cultura no estado, como o Concurso de Qualidade e Sustentabilidade do Café Canéfora (Robusta e Conilon) do Estado de Rondônia, que incentiva a produção de café com qualidade no estado.

No intuito de incentivar a cafeicultura, o Dia do Início da Colheita do Café Conilon foi instituído pela Lei 3.516, de 17 de março de 2015, assinada pelo governador Confúcio Moura. A data está inserida no calendário oficial do estado. Para o secretário da Agricultura, Evandro Padovani, não adianta chegar a quatro milhões de sacas sem qualidade. “Essa data serve como referência para o produtor buscar colher o café em um ponto de maturação adequado e com qualidade. Assim, ele recebe melhores preços pela saca do seu produto”, explicou Padovani.

Também com foco na qualidade e em estratégias na gestão da cadeia do café, a Seagri reativou em 2013 a Comissão Estadual de Sementes e Mudas (CESM-RO), dada a necessidade de se ter um fórum superior para mediar dúvidas decorrentes da grande mobilização estadual em prol da cafeicultura. Também foi estabelecido pela Seagri junto aos órgãos responsáveis o estabelecimento de um padrão de mudas de café, para atender com qualidade fitossanitária o crescente comércio de mudas em Rondônia, que até então estavam sendo produzidas e comercializadas sem critérios normativos.

Complementar a esta ação, a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron) estabeleceu requisitos fitossanitários para a produção, o comércio, entrada, trânsito, armazenamento e utilização de mudas de café em Rondônia. A Portaria Idaron 558 entrou em vigor no dia 17 de julho de 2016, considerando a necessidade de proteger a cafeicultura do estado.

Os incentivos à cafeicultura também estão sendo realizados por meio de ações direcionadas para a agricultura familiar, como a aquisição de 52 mil toneladas de calcário, sendo repassadas mil toneladas para cada município de Rondônia. Também é oferecido transporte de calcário para pequenos produtores. O governo de Rondônia adquiriu 800 mil mudas e está realizando o registro de preço de mais três milhões de mudas de café clonal que serão distribuídas aos produtores para implantação ou mesmo restauração de um hectares por família.

Todas estas ações e políticas públicas favorecem a adesão de tecnologias, incentivam a produção com qualidade e refletem em aumento de produtividade e mais renda e qualidade de vida no campo.

Fonte: SECOM

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação