“Do nada aquele estrondo”, diz motorista do caminhão atingido pelo helicóptero que transportava Boeachat


O motorista João Aldroaldo Tomackeves, de 52 anos, relatou momentos de apreensão durante o acidente com o caminhão em que dirigia e que foi atingido pelo helicóptero que levava o apresentador Ricardo Boechat, na tarde de ontem (11).

Aldroaldo iria carregar o caminhão em Cajamar, cidade localizada na Região Metropolitana de São Paulo, e depois seguiria viagem para o Sul do país. O motorista, no entanto, foi surpreendido pela queda do helicóptero em cima da cabine do seu caminhão na rodovia Anhanguera, próximo à alça que dá acesso ao km 7 do Rodoanel.

Aldroaldo teve ferimentos leves, mas sentiu-se mal e depois foi levado para um hospital da região. Ele recebeu alta à noite.

MAIS SOBRE A MORTE DE BOECHAT

“O helicóptero veio de cima para baixo, não veio de frente para mim. Não tinha nada na minha frente, a rodovia estava ‘limpa’. Aí do nada, aquele estrondo e sobe metade da cabine em minha frente”, relatou Aldroaldo em entrevista à TV Globo.

“Meu marido era ateu que praticava amor”, diz mulher em velório de Boechat.

Rádio de Boechat troca programação por homenagens e “aposenta” cadeira.

Produtora que levou bronca de Boechat lamenta: “Não consigo acreditar”.

“Perdi meu amigo, vou sentir uma falta horrível”, diz Simão sobre Boechat.

O ACIDENTE

Boechat morreu em acidente de helicóptero na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, por volta do meio-dia de ontem, quando voltava de uma palestra em Campinas.

O piloto da aeronave, Ronaldo Quattrucci, que tentava fazer um pouso de emergência quando colidiu com um caminhão, não resistiu aos ferimentos e morreu no acidente. A morte de Boechat, aos 66 anos, foi confirmada ao vivo, na Band, pelo apresentador José Luiz Datena.

Pela manhã, Boechat havia participado de um evento de um laboratório farmacêutico em Campinas e retornava para o heliponto da Band, no Morumbi, zona oeste de São Paulo, na hora da queda.

VELÓRIO

boechat jornalista

O corpo do jornalista Ricardo Boechat deve ser cremado hoje (12) em cerimônia reservada para parentes e amigos próximos, segundo informações do Grupo Bandeirantes de Comunicação. Até as 14h ocorre o velório no Museu da Imagem e do Som (MIS), no bairro Jardim Europa, na capital paulista.

A pedido do presidente Jair Bolsonaro, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, irá representá-lo no velório do jornalista. Bolsonaro disse que ele e Boechat eram amigos “há mais de 30 anos” e que apelidou o jornalista de “Jacaré”.

Boechat deixa mulher, cinco filhas e um filho

0 Comentário

Nenhum comentário

Seja o primeiro

Deixe um comentário

Ao clicar em ENVIAR, aguarde nossa avaliação